domingo, 9 de maio de 2010

Como uma flor eu me abro de novo para a vida.




Como uma flor eu me abro de novo para a vida.
Ainda com o medo de quebrar o pouco que se restou.
As lagrimas ainda estão presente, com pouca freqüência,
mas com a mesma intensidade de um tempo atrás.
A Saudade tem sido minha companheira fiel,
mas ela já não acompanha a dor dilacerante de antes.
Agora ela vem com a alegria de ter vivido algo tão especial.
E assim eu percebo o quanto humana eu sou.
Na fragilidade e na dor eu me torno mais forte.
Eu ainda sinto falta e ainda não entendo,
mas eu tenho tentado, lutando contra mim mesma...



Um big beijo para todas as Mães. Principalmente para minha Mãe por todo seu amor
 e para minha Tia que perdeu seu tão amado filho há apenas um mês.

3 comentários:

Marcos Aquino disse...

As mães merecem toda as homenagens do mundo, são leas que nos deram a vida, e que sempre estão com a gente. Beijos

Nanda disse...

Passei por aqui e dixei ficar cadinho lendo as coisas bonitas e gostosas que escreve, beijos, boa semana!

Fernando L. disse...

A saudade sempre acaba por nos calar. É ruim ter que lutar contra nós mesmos contra os nossos sentimentos. Beijos.